Todas as empresas correm alguns riscos, sejam os mais graves ou nem tanto. No entanto, é preciso estar preparado e saber como preveni-los para não parar projetos, setores ou, até mesmo, ter prejuízos financeiros. Por isso, é importante conhecer a matriz de risco e saber como utilizá-la.

Além de prevenir, essa ferramenta também aponta boas oportunidades que precisam ser analisadas antes de tomar decisões importantes. Se deseja saber mais sobre o assunto, continue a leitura abaixo.

O que é matriz de risco?

A matriz de risco é uma ferramenta muito utilizada na gestão de riscos para a tomada de decisões. Com ela é possível analisar possíveis incertezas, ameaças ou oportunidades visando priorizar ações e verificar o tamanho de cada risco, se estão controlados ou não.

A ferramenta é apresentada em uma tabela em que as linhas verticais representam a probabilidade do risco e a linha horizontal os impactos. Dessa forma, fica mais fácil visualizar todos os perigos e relacionar os dados, identificando como cada ameaça afeta os setores da empresa.

Para que serve a matriz de risco?

Os riscos que geram ações negativas e imprevisíveis para as empresas podem resultar em grandes prejuízos, conseguir minimizar ou evitar essas incertezas é uma das formas de garantir uma boa gestão. Além disso, essa matriz ainda consegue identificar oportunidades que devem ser aproveitadas para garantir operações únicas.

Você também pode se interessar: As 5 ferramentas de gestão mais utilizadas para otimizar a rotina e os processos da empresa

De forma prática e simples, a matriz de risco auxilia na avaliação dos impactos de cada etapa de um projeto. A tabela analisa os aspectos impacto e probabilidade, além disso, os riscos são classificados em cores para representar a importância de cada tarefa:

  • Cor verde: baixo
  • Cor amarela: médio
  • Cor vermelha: alto

Como montar uma matriz de risco?

Para montar uma matriz de risco, faça uma planilha e coloque os eixos probabilidade x impacto. Chame sua equipe para participar, afinal todos devem entender a matriz e seguir as diretrizes definidas. Ouça a opinião dos colaboradores para novos insights sobre as etapas do projeto.

Adicione os processos na planilha e classifique cada uma delas conforme as cores: verde, amarelo e vermelho. A partir disso, analise os riscos pelo nível de gravidade e trace estratégias preventivas para cada uma delas.

Tipos de matriz de risco

Existem alguns tipos de matriz de risco, conheça os principais e saiba qual a melhor opção para aplicar no seu negócio.

  • Matriz de risco 5×5: esse modelo avalia os riscos e oportunidades, mediante a probabilidade de frequência e consequência. Utilizando números de 1 a 5 em uma escala crescente para representar os níveis de urgência. Além disso, essa planilha possui somente 5 linhas e 5 colunas. Existem versões 4×4 e 3×3 desse modelo;
  • Matriz de risco qualitativa: essa matriz é avaliada conforme a qualidade de cada risco, como baixo, médio, alto, aceitável, tolerável e inaceitável. Pode ser combinada com a matriz 5×5;
  • Matriz de risco quantitativa: para quem deseja uma análise mais assertiva baseada em cálculos, essa matriz é ideal. Apesar de ser mais difícil de utilizar é a que entrega os resultados precisos;
  • Matriz de risco de projetos: essa matriz é específica para a gestão de projetos. Auxiliando a identificar todos os riscos e oportunidades em cada etapa do projeto. Considerando os impactos sobre o custo e a qualidade, além dos prazos do cronograma.

Como interpretar uma matriz de risco

A interpretação da matriz de risco pode variar conforme a visão da empresa, por isso, defina as análises com sua equipe desde o início para que todos saibam como acompanhar. De modo geral, você pode seguir as análises:

  1. Baixo: são as células na cor verde, esse tipo de risco deve ser retido;
  2. Médio: são as células na cor amarela, o risco deve ser amenizado;
  3. Alto: são as células na cor vermelha, priorize essas incertezas e trace estratégias preventivas para não ocorrer ou ainda minimizar os impactos.

Entenda mais sobre como fazer uma análise de risco da maneira correta, com Carlos Sander, Master Black Belt em Lean Six Sigma, no vídeo abaixo:

Gestão de alta performance

A matriz de risco é uma das ferramentas utilizadas pelos gestores de alta performance, afinal com a planilha todos os gestores e colaboradores sabem os passos dos projetos e as incertezas que podem ocorrer, resultando no engajamento da sua equipe que se sente ouvida e valorizada ao participar. Além disso, utilizar essa ferramenta reduz altos custos de riscos não previstos.

Se aprimorar e aprender novos métodos e técnicas sobre a gestão de alta performance é essencial para alcançar os resultados desejados da sua empresa. Por isso, conheça o curso Gestor de Alta Performance da Frons e nunca mais tenha que ficar apagando incêndios na operação!

Com o nosso curso você vai contar com aulas AO VIVO, além de suporte dos melhores professores em tempo real, certificado de conclusão do curso e acesso vitalício ao material gravado. Se você deseja ter um time motivado, mais tempo para analisar dados e traçar estratégias e saber como delegar tarefas, esse curso é para você!

Além dos nossos cursos, confira também os artigos do nosso blog e aprenda como fazer: Análise de resultados: exemplos práticos e como fazer. Até a próxima!

Autor

Autor de 2 livros publicados: "Lean Six Sigma: O guia básico da metodologia" e "101 Dúvidas sobre Lean Six Sigma". É formado em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual Paulista - UNESP. Estudou Business and Process Management pela University of Arkansas - EUA, direcionando sua especialização em Lean Seis Sigma e Gestão Empresarial. Professor de empresas como BRF, Plasútil, Usiminas, Petrocoque, Avon, Mondelli, UNESP, JohnDeere e de mais de 60.000 alunos na comunidade online. Com mais de 30 mil certificados emitidos, é CEO da Frons, uma plataforma focada em melhoria contínua e gestão de processos.